6 de nov de 2009

Dicas de livros

Enquanto preparo os arquivos dos meus vídeos para postagem (trabalho hercúleo, já que, por incrível que pareça, a maioria deles não estava digitalizada até o momento), vou postando comentários e dicas. Hoje me ocorreu fazer uma lista de meus livros de cabeceira sobre produção e arte do vídeo. Os livros que, neste terreno, fizeram minha cabeça. Recomendo-os a qualquer pessoa que queira se interar melhor sobre o assunto. Aí vai: A ARTE DO VÍDEO (Arlindo Machado). Embora já um tanto antigo (a primeira edição é de 1988), é bastante esclareceder a respeito dos primórdios, dos princípios e do sentido dessa linguagem e desta tecnologia contemporâneas que continuam a se transformar e a se misturar com outras linguagens e outros meios. PRÉ-CINEMAS E PÓS CINEMAS (Arlindo Machado). É na verdade uma coletânea de artigos do autor, que fornece um painel sobre questões que se estendem do mito da caverna de platão ao vídeo digital e a internet. ON VÍDEO - O SIGNIFICADO DO VÍDEO NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO (Roy Arnes). Não diz muita coisa a respeito da linguagem videográfica ou de sua estética específica, mas traça de forma precisa toda a trajetória da tecnologia do audiovisual, desde o rádio, passando pela TV, pelo cinema, até chegar ao vídeo contemporâneo, desvendando o significado de cada uma destas tecnologias para a comunicação no século XX. A ÉPICA ELETRÔNICA DE GLAUBER (Regina Mota). Centrado em algumas das últimas obras do cineasta Glauber Rocha, aborda aquela que, para mim, foi sua grande contribuição para o audiovisual contemporâneo: a utilização pioneira, despojada, anárquica e provocativa da tecnologia do vídeo no programa de TV Abertura, no fim da década de 70. Esta experiência teve reflexos na geração de realizadores de vídeo da década de 80 e se faz sentir ainda hoje na TV comercial, em programas como Pânico na TV e CQC.

Um comentário:

  1. Não conheço nenhum destes livros, salvo o do Arlindo Machado que cheguei a estudar na faculdade, princiapalmente analisando uns programas experimentais da TV européia, como a TV Dante do Peter Grenaway.
    Mais de todos estes o que mais me interessou em ler, foi "A épica eletrônica de Glauber", por razões óbvias, por ser grande fã e apaixonado por tudo que se fala de Glauber e pelo interesse em estudar, conhecer e ler mais sobre ele.

    ResponderExcluir